As medidas econômicas do governo e o seu bolso

politica-economicaBem amigos, o papo de hoje é a respeito de assuntos da economia que a princípio parecem chatos, complicados e difíceis, e por essa razão não nos interessa muito, só que impactam diretamente em nossas vidas, e que deveríamos ficar mais atentos a eles.

Vamos falar um pouquinho sobre as medidas de incentivo ao consumo tomadas pelo governo, com vistas ao desenvolvimento econômico e social, mas que nem sempre podem trazer os benefícios ditos e esperados. Devo dizer que vou me ater aos fatos, sem tomar nenhuma postura político-partidária.

Muitas foram as oportunidades que falamos do perfil de consumo do brasileiro, que se acostumou a buscar vias caríssimas de financiamento de seus sonhos em detrimento da poupança para adquirir seus bens à vista. No geral a forma mais usual de compra do brasileiro é através do endividamento de longo prazo. Claro que em algumas circunstâncias isso é inevitável, mas sempre podemos encontrar uma alternativa através da inteligência financeira.

Mas o que temos visto nos últimos anos é que o governo tem adotado uma política de incentivo ao consumo como a redução de impostos, de taxas de juros e até o lançamento de cartões de crédito para a aquisição de eletrodomésticos.

Essas ações tem como ideia central manter a economia do país funcionando mantendo os empregos na indústria e no comercio, além de permitir o acesso das classes mais baixas ao mercado de crédito.

Por outro lado continuamos sem ver nenhuma política pública de educação financeira, e permitir o fácil acesso ao crédito sem que essas pessoas estejam preparadas para lhe dar com isso e muito menos entender o seu funcionamento, prolifera-se a ciranda dos juros adorada pelos bancos, o endividamento e a inadimplência das famílias.

Na crise de 2008 essas medidas já tinham sido tomadas e o efeito naquele momento foi positivo, já que evitou que o Brasil entrasse em recessão e passasse com certa tranquilidade pela tormenta causada pela economia americana. Mas isso não significou que continuávamos com o mesmo equilíbrio para enfrentar outra crise caso isso acontecesse novamente num curto intervalo de tempo.

O problema é que aconteceu. A crise da Europa nos pegou ainda em fase de recuperação, e a adoção do mesmo remédio não está surtindo o efeito de antes. À medida que o governo baixava os juros e reduzia impostos, os brasileiros iam às compras, e com o aumento da demanda a indústria foi elevando seus preços trazendo de volta o fantasma da inflação.

Agora a equipe econômica tenta reverter o quadro elevando as taxas de juros e tributárias procurando reencontrar o equilíbrio perdido. Mas como em economia os efeitos não aparecem de imediato, esse quadro tende a se prolongar por mais algum tempo ainda.

Espero ter mais uma vez ajudado a esclarecer alguns efeitos em nosso bolso do que essas medidas econômicas que nos parecem tão distantes provocam e que nos passam despercebidas, mas que estão nos afetando a todo tempo.

Anúncios
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Os rumos da OGX

O governador Sérgio Cabral e os secretários estaduais Marilene Ramos (Ambiente) e Júlio Bueno (Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços) entregam a Licença Prévia (LP) para a implantação da usina termelétrica a carvão, do Porto do Açu EnerBem amigos, a semana passada reservou um susto a mais para os sócios de Eike Batista na OGX. O rebalanceamento do índice MSCI retirou essa ação de sua carteira, forçando fundos passivos que o acompanham a vender suas posições, provocando uma queda de 40% no valor dos papéis.

A questão é que como o mercado já anda muito alarmado com as notícias das empresas do grupo X, qualquer justificativa não tira o medo dos acionistas de um pedido de recuperação judicial, o que não seria bom.

Esta semana começou com uma boa recuperação dos preços, tendo uma máxima de 46% de alta já na segunda-feira, e a partir daí os radares ficaram ligados no noticiário.

Eike tenta evitar de todas as formas ter que fazer uma injeção de US$ 1 bi de seu bolso na petroleira, e negocia a redução de sua participação acionária que hoje é de 50,15%. Nas últimas semanas ele vendeu cerca de 5% de suas ações na bolsa.

Enquanto Eike já dá sinais de que aceita perder o controle da companhia, seus credores mostram que confiam no negócio desde que tenham alguma garantia da reestruturação da dívida, como é o caso da Petronas, que tem um compromisso de injetar US$ 800 milhões, mas aguarda a apresentação desse programa.

E o que devem fazer aqueles compraram ações a preços bem acima dos atuais R$ 0,40?

Muitas foram as vezes que classifiquei aqui o investimento em ações como dinâmico, isso significa dizer que não podemos apenas comprar as ações e passar a contemplar o mercado, temos que nos movimentar constantemente para proteger o nosso capital, aqueles que ainda não entenderam isso e ficaram sentados nas ações da OGX, realmente devem estar machucados.

Aqueles que vieram realizando o lançamento coberto de opções (financiamento), ou disponibilizando as suas ações para aluguel (taxa que atingiu a máxima histórica em 28 de agosto, pagando quase 100% do valor da ação ao ano), baixaram significativamente seu preço médio, mesmo sem se desfazer das suas ações.

A crença do mercado é que quanto menor a participação de Eike Batista na empresa, mais confiança os credores terão e a possibilidade de atração de novos investidores com dinheiro para fazer a empresa voltar a crescer aumentará.

O fato é que posições se dividem, enquanto muitos estão temerosos e realizam seus prejuízos vendendo o que ainda tem, outros enxergam a oportunidade de comprar ações de uma empresa de um setor bilionário e com parceiros fortes que é hoje a grande pechincha do momento, apostando na recuperação e num lucro significativo no longo prazo. Questão de ponto de vista, objetivos e perfil.

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A hora certa de entrar na bolsa de valores

129936576Bem amigos, quando o tema aqui trata de investimentos, falar de bolsa de valores pra mim sempre será recorrente, pois acredito que é a melhor opção que temos no mercado para aqueles que buscam ganhos significativos, mas que vislumbram o longo prazo.

Acredito nisso por trabalhar há alguns anos nesse mercado e conhecer de perto os produtos de investimento e as diversas estratégias operacionais que podem ser adotadas pelos investidores, portanto sei de seu potencial de retorno.

Mas as pessoas ainda se deixam levar pelo emocional e pela euforia, tomando atitudes equivocadas que as levam ao prejuízo. A ideia hoje é falar sobre umas dessas atitudes: A entrada na bolsa movida pelo impulso das fortes altas e na hora errada.

O mercado é extremamente cíclico e movido por notícias que afetam as bolsas mundiais a todo instante, mas no nosso caso esse movimento é ainda mais intenso por sermos um país emergente, repleto de boas e lucrativas empresas e muito bem regulamentado, o que nos caracteriza pela forte presença do capital estrangeiro, que é o fator que mais provoca oscilações em nossa bolsa.

Funciona mais ou menos assim: quando a economia mundial dá bons sinais os estrangeiros tendem a buscar a volatilidade de nossa bolsa para ganhar dinheiro, provocando altas por aqui devido ao elevado movimento de compra. Já quando as coisas não andam muito bem, eles costumam buscar a segurança da moeda americana, o dólar, derrubando nosso índice em função das fortes vendas.

Sempre digo que o brasileiro deveria procurar se informar mais e aprender a tratar melhor de seu dinheiro. Tem muita gente que se desilude com a bolsa de valores, mas não para e avalia o que fez de errado pra perder dinheiro.

A maioria das pessoas que conheço, perderam por entrar nos momentos de euforia de forte alta, e no final só pagaram a conta de quem comprou barato. Criamos o mito de que bolsa tem que estar em alta para ser bom. Ledo engano. O melhor momento de comprar qualquer coisa é quando os preços estão em baixa, só que por aqui, quando a bolsa cai quem está posicionado se desespera e sai realizando prejuízos desnecessários. Este é justamente o momento de ir às compras e compor patrimônio, e se for o caso de se desfazer dos papéis, que eles sejam vendidos apenas quando estiverem em alta.

Aliado à estratégia de procurar papéis baratos (isso não quer dizer valores baixos, e sim bons indicadores. Recomendo estudar um pouco de análise fundamentalista), estar sempre comprando um pouco é também interessante, já que o investidor comprará suas ações em situações diversas, o que proporcionará um preço médio sempre interessante.

Tomando por base essas dicas e deixando de lado as “dicas quentes“ de amadores, no longo prazo a bolsa de valores lhe fará muito feliz e rico! O profissional indicado para lhe orientar é sempre um assessor de investimentos, já que nem mesmo o seu gerente do banco conhece o mercado como este profissional que o vive full time.

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Bolsa de valores: Mitos e verdades

05_07_26_bovespa_indiceBem amigos, já faz um tempo que as pessoas pedem pra que fale um pouco mais sobre a bolsa de valores, já que ainda existem muito mitos, muitas impressões equivocadas sobre o funcionamento dessa modalidade de investimento, que no cenário atual da economia (juros baixos e inflação alta), ao contrário do que se pensa e do que vemos nas atitudes dos poupadores, é cada vez mais a melhor alternativa para o seu dinheiro.

Claro que para se dar bem na bolsa é necessário ter conhecimento ou uma assessoria competente que lhe mostre as melhores alternativas. A bolsa deve ser olhada como investimento de longo prazo. Aquele que pensa que vai obter ganhos fabulosos em prazos curtíssimos estão embarcando justamente nos mitos que precisamos derrubar.

A bolsa é a casa das empresas de nosso país, portanto, costumo dizer que se no longo prazo você está perdendo é porque alguma coisa deve estar errada, já que no geral elas estão lucrando.

A primeira coisa que devo dizer é que a bolsa não é um game, não é um cassino, apesar de muitos fazerem dela isso mesmo, mas a ideia não é essa. O trabalho realizado por analistas e assessores baseia-se em estudos detalhados dos balanços e do acompanhamento do dia-a-dia das companhias. Não há espaço nesse negócio para achismos e “palpites quentes”, é um trabalho de profissionais.

Outro ponto importante é deixar de lado a ideia de que a bolsa só é boa quando está subindo. Para determinados setores da economia isso procede, mas no geral não, como o pequeno investidor não tem como definir a direção do mercado, cabe a ele seguir a direção dos grandes e aproveitar as oportunidades. Se o dia é de touro somos touros, se o dia é de ursos somos ursos. O importante é ganhar dinheiro.

Quanto ao volume financeiro necessário para iniciar suas operações, isso é muito relativo, eu já escrevi um artigo aqui falando sobre o assunto. Vai de acordo com a estratégia a ser adotada pelo investidor, mas pode ser bem menos do que se imagina. Nesse sentido a bolsa é muito democrática, e mais uma vez falando em longo prazo, é disparada a melhor opção, é imbatível.

Falta em nosso país uma cultura de investimento. A nossa cultura é a da inflação, é a do consumo imediato, ganhar e gastar. Então as pessoas não procuram a bolsa como opção de poupança.

Fala-se muito na questão do risco, sim existe risco, como aliás todos os investimentos trazem sua taxa de risco agregada, até mesmo a caderneta de poupança como já citamos em artigo recente. Cabe ao investidor junto com o seu assessor se cercar das ferramentas de manejo de risco e operar de maneira segura minimizando as perdas e maximizando os ganhos.

Existem outras falsas impressões sobre o funcionamento da bolsa de valores, mas acho que citei os principais. Em caso de outras dúvidas é só deixar seus comentários aqui que vou esclarecendo, e sempre que tiver oportunidade busque informações seguras com profissionais da área. Espero ter ajudado mais um pouco.

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

Você é rico?

rue Color ImageBem amigos, a pergunta é essa mesmo, você é rico? Talvez sim e não saiba, e não é questão de ponto de vista. Lembre-se que o assunto de nosso blog é dinheiro, então não entram aqui riquezas de saúde, de amor, e outras assemelhadas. Estou perguntando se você é financeiramente rico.

Mas o que é ser rico? É ter dinheiro sobrando pra esbanjar, comprar roupas caras, carros de luxo, essas coisas? Em parte faz sentido pensar dessa forma, mas esse é o estágio visível da riqueza, só que as coisas nem sempre começam assim.

Excluindo os casos dos abastados herdeiros e ganhadores de loterias, pra alcançar a riqueza alguém teve que dar muito duro pra conseguir a fortuna, e é esse estágio da riqueza que nos interessa falar hoje.

Costumo dizer em minhas palestras que rico é aquele que, independente de quanto ganha, consegue atravessar o mês inteiro com as contas pagas e ainda faz sobrar algum pra investimentos. Essa sobra já é riqueza.

Pra começar a ser rico você tem que viver com menos do que ganha, então é isso mesmo, se você já consegue economizar um pouco todo mês considere-se rico!

Agora, o que talvez lhe separe de seu estágio atual de riqueza para o estágio visível como falei antes, é como as sua economias são tratadas e o tempo.

Toda fortuna teve o seu início. Uma boa ideia, uma grande oportunidade, acompanhada de muito trabalho e disciplina pra alcançar os objetivos traçados.

Quem pensa que não é possível enriquecer com o trabalho está muito enganado. Aqueles que não acreditam que podem ter conquistas financeiras com o seu salário e não agem, estão conformados com o insucesso.

O grau de riqueza que se pode alcançar varia de acordo com o que se consegue poupar e o perfil de investimento de cada um. É fundamental elaborar um plano de riqueza, onde estejam estabelecidas metas. Adote modelos de diversificação e distribua seus investimentos entre a renda fixa e a variável tomando como exemplo a regra dos 100.

Pense que poupar hoje é a garantia de um futuro de riqueza. Seja disciplinado e dedicado ao seu objetivo. Não se deixe levar pelos impulsos do consumo imediato, e será muito bem recompensado.

Um bom plano de riqueza consumirá no mínimo 15 anos para começar a dar frutos. Com 30 anos de investimentos bem feitos sua aposentadoria chegará mais cedo e será uma festa. Então não perca mais tempo. O momento de começar é agora.

Você quer ser rico?

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Novas formas de pensar sobre o seu dinheiro

167330595Bem amigos, existem certas ideias da cultura financeira de nosso país que se assemelham aos dogmas religiosos, como verdades absolutas e inquestionáveis, que na realidade mais atrapalham do que ajudam o nosso desenvolvimento financeiro.

As gerações passaram, o cenário econômico brasileiro mudou muito, e as pessoas continuam acreditando nas mesmas coisas, e repetindo as mesmas receitas que deram certo (ou não) há 30, 40, 50 anos atrás.

Aqui nesse espaço eu já escrevi sobre duas das quais eu considero as principais dessas ideias: a compra financiada de imóveis e investimentos em caderneta de poupança.

Já me habituei com a expressão de espanto e ao ar de descrença das pessoas quando toco no assunto, e o mais impressionante é que sempre para comprovar as ideias recorremos aos números, e todos entendem, mas encerram a conversa com o famoso “Tudo bem, mas mesmo assim eu prefiro financiar…” ou ”Mas a poupança ainda é a mais segura…”.

Esse comportamento é ruim não apenas para quem opta por esse tipo de “investimento”, já que perder para a inflação é ver seu dinheiro encolher até virar pó, e pagar juros aos bancos só enriquece ainda mais os banqueiros, mas também é danoso para toda a nossa economia, pois tira das pessoas a capacidade de acumular riqueza.

Uma maneira de aprender, já que não fomos educados financeiramente, é observar como as pessoas de países economicamente estáveis há mais tempo costumam agir. Posso citar uma atitude dos americanos, por exemplo, que, enquanto por aqui o sonho de todos é contrair uma dívida de 30 anos para comprar a casa própria, lá, desde muito jovem tem-se como objetivo juntar um milhão de dólares.

Enquanto em terras brasilis as pessoas tem preguiça de estudar e pesquisar sobre as melhores alternativas para investir o seu dinheiro e deixam tudo nas mãos do gerente do banco, os sobrinhos do Tio Sam são assessorados por profissionais especializados nesta tarefa, e que garimpam o mercado em busca de boas oportunidades, e pagam por isso.

Claro que não é fácil mudar de comportamento de uma hora pra outra, e isso obviamente não vai acontecer, mas aconselho a todos que pesquisem sim, comprem um livro, conversem com especialistas e busquem informação.

Quando se trata de dinheiro, antes de qualquer coisa faça contas, mas não pra saber se a parcela cabe no seu salário, mas pra ver se não dá pra comprar à vista daqui a algum tempo, e se essa opção não é a mais vantajosa. O imediatismo e a satisfação de ter as coisas logo não superam a sensação de felicidade de fazer da melhor maneira.

Vivemos num cenário econômico que nos permite planejar nosso futuro financeiro, e temos que usar isso ao nosso favor, gastar agora sem planejar pode ser a causa de você não ficar rico daqui a alguns anos.

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O primeiro passo para exercer poder sobre o seu dinheiro.

168580936Bem amigos, em nossos cursos e palestras falamos sobre como Exercer poder sobre o seu dinheiro, e quem já teve a oportunidade de assistir sabe que não é um processo fácil já que exige mudanças profundas de hábitos que muitas vezes queremos justificar e esconder que isso nos prejudica.

Uma coisa é padrão entre aqueles que não tem controle sobre suas finanças: a promessa de mudar. Só que o tempo vai passando e não tomamos medida alguma pra reverter a situação.

Os maiores problemas encontrados para conseguir mudar são: abrir mão de alguns hábitos de consumo, e interiorizar as novas atitudes.

Pra facilitar, não ficaando apenas no falatório e dar o primeiro passo, vou apresentar quatro tarefas que já servirão para iniciar, até porque, elas nos confrontam com a realidade e nos motivam a agir.

Para realizar essas tarefas use uma planilha de excel ou mesmo um caderno de anotações e desenhe uma tabelinha simples que você possa preencher. Faça isso durante o período de um mês entre o recebimento de um salário e outro.

Identificando entradas e saídas de recursos

1 – Anote todo dinheiro recebido: Assim que o mês começar anote o valor exato e a data que entrou em sua conta. Caso receba recursos de outras fontes, como pagamento de empréstimos, alguma venda de produtos, aluguel, serviços extras, etc., anote também à medida que eles vão entrando, e some todos os valores. Isso vai lhe mostrar com precisão quanto você ganha.

2 – Anote os gastos diários: Pegue a tabelinha que desenhou e coloque em seu bolso com uma caneta todos os dias do mês, e a cada centavo que gastar tome nota. Comprou um cafezinho, anote, comprou um lanche, anote, pagou uma conta, faça o mesmo. E assim prossiga ao longo de cada dia do mês. Não será uma tarefa fácil e exigirá disciplina. Pense no retorno. Ao final do dia transfira as informações para sua planilha os gastos, e mantenha-se firme no controle. Essa é a tarefa que vai lhe mostrar como o seu dinheiro é gasto, e vai responder aquela típica pergunta: “Como foi que meu dinheiro acabou?”. Surpresa!

3 – Faça um balanço semanal: Ao final da semana reúna todas as informações de gastos que coletou em uma tabela, e analise criticamente os dados. Veja o que foi desnecessário e já corrija o que entende como errado na semana seguinte. Não espere o mês acabar para tomar novas atitudes.

4 – Faça o seu balanço mensal: Ao final do mês seu primeiro passo foi dado. Agora é o momento de avaliar as contas e saber como o seu dinheiro é gasto, onde é possível economizar, e quais hábitos de consumo corroem mais as suas finanças. Adote novas posturas.

Talvez o resultado desse mês de experiência seja bem desagradável, já que será a verdade batendo à sua porta. Conheço pessoas que ganham bem, mas gastam mal, e isso pode ser mudado. Depende de vontade.

Daqui pra frente é planejar os gastos nos próximos meses e continuar firme no propósito de exercer poder sobre o seu dinheiro.

Em nossa consultoria de finanças pessoais recomendamos um modelo simples de planilha de controle financeiro, pois acreditamos que não adiantam modelos complexos para quem quer começar a se organizar. Com o tempo cada um vai incrementando a sua planilha e complementando com as informações que precisa. Quem tiver interesse de receber esse modelo simples de orçamento em excel, é só mandar um email solicitando-o para rsantos@quattroassessoria.com.br que enviaremos com prazer.

É hora de entrar em AÇÃO!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário